Nós somos Black`s . Nós somos simplesmente, humanos de cor preta

Uma reflexão sobre a designação de " raça negra "

Uma reflexão sobre a designação de " Raça negra "que é: uma imposiço do racismo . Não a devemos acolher como nossa identidade . Ao contrário do que afirmam os racialistas, a nossa identidade é humana. Até o séc. XVII essa palavra não tinha Expressão de identidade dos povos africanos ( Marilena Chaui ) e foi reservada pelo racismo para designar os pretos sequestrados na costa da África a quem o sistema escravagista submetia pela violência a negação de sua humanidade.

Nossos avós eram pessoas (humanas ) de cor. Se o branco é branco, o preto é preto. Não existiram Irmandades nem Cemintérios de homens "negros" . Haviam de Homens de cor , de Pretos, de Pretos Novos etc. Ainda hoje os africanos em geral e os afro-americanos não aceitaram a designação por " negro", " nigger" e assemelhados. Pois nós somos "Black`s". Nós somos simplesmente, humanos de cor "preta" ou parda, ou branca, amarela ou vermelha.Todos somos simplesmente humanos com cores diversas na epidérme a melanina, que é simplesmente proteção contra os raios ultra violetas e nada tem a ver com a "raça ", sim complemento de uma etnia. A raiz da palavra é nefasta e degradante é a mesma de necrotério e necrócia ou seja, corpos sem vida humana.

Portanto, conforme afirmava MALCOLM X a estratégia do racismo foi dividir em raças distintas de impor uma hierarquia, os pretos, designados por " negros ", são a base inferior. A nossa luta deve ser a destruição dessa estratégica divisão dos humanos, por decorrência, a destruição da crença em raças humanas. Não somos da Raça "negra". Não podemos aceitar a lógica do racismo nem podemos acolher o seu ideal da divisão da humanidade em raças diferentes

Não lutamos por intregração ou por separação. Lutamos para sermos reconhecidos como seres humanos. Lutamos por direitos humanos; "MALCOLM X " .


 

LUTAMOS POR DIREITOS HUMANOS MALCOLM X

 

Escala cromática de von Luschan


Human Distribuição Cor da pele


MOntando tabelas
Tipo Escala de von Luschan Descrição da Pele
1 1 5 Muito claro
II 6 10 Claro
III 11 15 Intermediário;europeu de pele escura,ou caucasiano médio
IV 16 20 Mediterrêneo ou Escura média
V 21 28 Escuro,marrom ou Pardos
VI 29 36 Muito escura ou Pretos

A diferença relevante entre as escalas de Von Luschan e de tipos de pele é uma das aplicações pretendidas: a escala por cor da pele, tem por objetivo simplesmente classificar pessoas pelo sua tom da pele verdadeiro e não estabelecer uma classificação racial de uma população inteira.

No Brasil

Nossa Constituição assegura a valorização da diversidade étnica e regional e a proteção de todos os grupos participantes do processo civilizatário nacional. O mestiço brasileiro, organizando - se em associações para a defesa de sua identidade, tem esta reconhecida oficialmente por leis como as que instituíram o Dia do Mestiço nos Estados do Amazonas, de Roraima e da Paraíba, e também o Dia do Caboclo.

Contradizendo sua política interna, o Brasil tornou-se signatário dos documentos finais da Conferência Mundial contra o Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerência Correlatas, e de sua Conferência de Revisão, promovidas pela ONU em 2001 e 2009, no Brasil, seu primeiro censo oficial, de 1872, tinha para a variável "cor/raça" as opções "branca", "preta", "parda" e "cabocla" no censo de 1890, a opção "parda" foi substituída por "mestiça", retornando o termo "parda" em todos os censos seguintes que tiveram o quesito "cor/Raça", passando a incluir também os mestiços caboclos. Assim, o censo brasileiro sempre trouxe um espaço para a Expressão da identidade mestiça.As opções "preta" e "branca" sempre constaram nos quesitos "cor/raça" dos censos, os quais nunca trouxeram a opção "negra". Somar pretos e pardos e incluí-los numa unica categoria a "negra" tornou-se, porém, uma reivindicação de movimentos negros, inclusive junto ao IBGE. Que de forma correta não acatou esta estranha reivindicação "preconceituosa". O que ficou assegurado pelo Congresso Nacional Brasileiro em 2010 é a "indentidade" "afro-brasileiro"

Apesar da Raça Humana ser uma so ... as Etnias são diferentes e merecem nosso apreço e muito respeito...!


Chamar os malês de negros era considerado por eles como ofensa, nunca aceitaram a imposição dessa falsa indentidade a eles


.